Mondim da Beira

Ponte de Mondim
A origem de Mondim remonta à pré-história onde existiu um Castro, grande e de impressionante fortaleza cujos restos mostram, ainda, em largas extensões, as suas bem constituídas muralhas.

Teve foral dado por D. Manuel a 20 de Agosto de 1517. Pelourinho de Mondim Foi sede de concelho até 1896 com as seguintes povoações: Almofala, com Bustelo; São João de Tarouca, com Pinheiro, Couto, Vilarinho e Vila Chã do Monte; Mondim (dividido em Mondim de Cima e de Baixo), com Almodafa; Ucanha, com Valdevez; Salzedas, com Murganheira, Vila Pouca, Cortegada e Meixedo; Cimbres; Vila Chã de Cangueiros (hoje Vila Chã da Beira); Granja Nova, com Formilo.

Contudo nem sempre teve a extensão que acima se indicou, pois em 1812 pertencia Vila Chã do Monte ao de Sever e em 1828 pertencia Cimbres ao de Tarouca; além disso com o concelho de Mondim coexistiu muito tempo outro que tinha Ucanha por capital, já em 1574. Em 1828 o Concelho de Ucanha compunha-se da Ucanha (vila), Granja Nova, Salzedas e Vila Chã de Cangueiros), ao todo com 2385 habitantes, enquanto que o de Mondim constava apenas de Mondim (vila), São João de Tarouca e Almofala, ao todo com 1482 habitantes. Viria a ser extinto por Decreto de 26 de Julho de 1896, passando, então, a fazer parte do concelho de Armamar. Posteriormente seria anexo ao de Tarouca, quando este foi restaurado por Decreto de 13 de Janeiro de 1898.


Ponte Medieval

PONTE MEDIEVAL de Mondim da Beira, no Lugar do Outeiro,Ponte de Mondim construída entre os séculos XIII e XIV, de arquitectura civil pública românica e gótica, a ponte de Mondim da Beira, com dois arcos de tamanho e amplitude desiguais, sendo o menor, na margem direita, ogivado e o maior ligeiramente apontado, possui o tabuleiro de passagem em planos desiguais, atingindo o seu ponto mais alto no enfiamento do fecho do arco maior, com diedro ligeiramente acentuado. Possui talhamar e guardas no passadiço. A ponte alicerça-se, entre os 2 arcos, em afloramentos rochosos no meio do rio e situa-se na via medieval que ligava Mondim da Beira a S. João de Tarouca.

ARCO MEMORIAL da Idade Média. Arco Memorial Está associado à passagem do cortejo fúnebre do Conde Dom Pedro. Para uns, é um marco monumental que se ergueu para demarcar o limite do Couto do Mosteiro de São João de Tarouca, para outros é um monumento funerário construído para o túmulo de Diogo Anes, que em 1175 (séc. XII) era o proprietário do terreno.

Inicialmente existiam três arcos que dois se perderam com o passar dos tempos.

PRAIA FLUVIAL - Sob a ponte romana funciona uma bela praia fluvial com água corrente e límpida do rio Varosa que flui sinuosamente por entre grandes pedras arredondadas pelo ímpeto da corrente, tem a frecura das sombras dos amieiros e, como tudo isto não bastasse, tem o enquadramento da ponte romana, que torna esta praia num cenário paradisíaco e espectacular.